amor

 

Ao pensarmos em uma pessoa da terceira idade, vemos aquela singela imagem de uma senhora tricotando ou de um senhor jogando gamão, bocha ou carteado, porém eles são muito mais do que isso. São seres humanos ativos, que sentem e amam.
Sim, após muitas experiências trilhadas na vida, o amor faz com que os idosos mantenham o vigor e o prazer pela vida, afastando suas mentes de ideias sombrias e da morte.
Muitos relacionam o amor e relacionamentos a pessoas jovens, que desejam se reproduzir e assim constituir uma família. Emanando a imagem de que o amor está correlacionado a corpos jovens, sendo considerado errado, aos idosos expressarem sentimentos deste tipo.
No caso das mulheres em si, a situação se agrava, pois, ao chegarem à menopausa, período que inviabiliza a concepção, as mulheres abandonam os relacionamentos íntimos.
Contudo, quando idoso fortalece seus relacionamentos interpessoais, sua autoestima eleva-se equilibrando-o mentalmente e emocionalmente. Seja num baile para terceira idade, num curso de artesanato, um encontro no clube do bairro, essas iniciativas levam a uma expansão na rotina dos idosos, permitindo aos mesmos conhecer gente nova e iniciar relacionamentos.
Muitas famílias posicionam-se contra os relacionamentos dos seus idosos, por terem uma sensação de estar preservando-os .de problemas emocionais e de saúde. Mas é preciso que eles desfrutem essa fase da vida com alegria e, ao encontrar o amor recebem carinho, zelo, além de companhia nesse período de maturidade.
Para mim, os idosos devem ter a chance de reacender a chama do amor, pois o amor é a essência que concede a eles uma vida plena e feliz.

Referência:
Imagem : http://migre.me/ubmNB