perfumeEm meados de 2000 a.C., a arte de confecção de perfumes deu- se no Egito; os faraós e membros importantes da corte foram os primeiros a usar as essências que, proporcionavam um agradável toque de frescor, ao clima quente e árido do Egito.
Na pérsia, Muslin e Avicenna, sendo o primeiro médico e o segundo químico, criaram o método de extração de óleos de flores por meio da destilação; seus primeiros experimentos foram feitos com rosas, das quais extraiam óleo ou leite de rosas, produto ainda utilizado nos dias atuais, para limpar e perfumar a pele.
Na Grécia, por volta de 800 a.C. , algumas de suas cidades já faziam a exportação de flores e plantas maceradas, sendo essa técnica criada pelos gregos. A cultura grega fabricava incensos e comidas aromáticas (pétalas de rosas moídas) para alcançar a atenção dos Deuses, utilizando perfumes em si mesmos e em suas casas. Os gregos tinham perfumes específicos para todas as partes do corpo( hortelã e pimenta para perfumar os braços e axilas, canela para o peito, óleo de amêndoa para mãos e pés, e extrato de manjerona para o cabelo e as sobrancelhas), causando o uso desmedido do produto.
Em Roma, com a expansão dos territórios, o Império Romano apropriou-se de muitas fragrâncias (glicínia, baunilha, lilás e cravo). Através das rotas comerciais (Arábia, Índia e China), a comercialização destas matérias- primas recebeu grande impulso. O consumo dos perfumes expandiu-se por todas as camadas sociais, tendo por finalidade o asseio pessoal diário, preparação de rituais de fertilidade e afugentar epidemias. Em toda a cidade havia mais de cem casas de banho públicas e privadas, recomendando o banho perfumado a qualquer hora.
Com o advento do Cristianismo (Séc. I d. C.) e suas observações sobre o recato, o uso do perfume como aditivo ao corpo foi banido, pois os cristãos acreditavam que estavam relacionados a rituais pagãos; as fragrâncias só eram utilizadas, para prevenir doenças e para higiene pessoal.
Pelo século I, muitas invenções foram importantes para o progresso da perfumaria, como a descoberta do vidro, que deu aos perfumes formas e cores diferentes; Em contrapartida, a criação do alambique possibilitou destilar matérias-primas.
Na Idade Média, o uso do perfume foi reduzido, sendo reservados ao culto e uma regalia dos nobres. Havia resquícios de Medicina e Farmácia, desenvolvidas com o uso de ervas aromático nos mosteiros.
O primeiro perfume com fórmula própria foi criado em 1370, pela rainha Elisabeth da Hungria. Sendo uma concentração de óleos e essências, conhecido como l’ eau de la reine de Hongrie.
Com o Renascimento, o ato de tomar banho lavando todo corpo com água e sabão era considerado um luxo, praticado uma vez por ano. Assim, os perfumes que disfarçavam o mau cheiro tinham tanta importância, acessível somente a reis, rainhas e membros da corte, pois a dificuldade em confecciona-los era muito grande.
Durante o século XVII, luvas perfumadas tornaram-se populares na França, levando em 1656 a associação de luvas e perfumes estabelecer-se.
O século XVIII assistiu a um revolucionário avanço na perfumaria com a invenção da Água de Colônia ou “Eau de Cologne”. Esta mistura refrescante de alecrim, neroli, bergamota e limão era usada por uma multidão de diferentes modos: diluído em água de banho, misturado com vinho, como líquido para limpeza bucal, entre outros.
No século XIX o romantismo leva ao sucesso as fragrâncias florais de Guerlain, Bourjois e outros. Nesta mesma época, as essências sintéticas começam a ser fabricadas a partir das conquistas da química orgânica moderna.
Em 1920, surge a primeira grande marca de perfumes o Chanel nº 5, resultado de uma equilibrada combinação de rosas, jasmim e aldeídos. O Chanel nº 5 representa igualmente uma ruptura com os anteriores métodos de fabrico e comercialização do perfume: o frasco ganha cada vez mais importância, e a imagem associada ao perfume torna-se tanto ou mais importante que o seu conteúdo.
Na atualidade, há perfumes para todos os gostos e classes sociais e temos muitos artistas tornando seus nomes marcas de perfumes.

perfume

Referência:
Imagem : http://twixar.me/HJN