amor medievalNum longínquo vilarejo,

Há uma donzela,

Cuja a face ver-te tristeza;

Pois o seu amor aventurou-se pela natureza.

Terras distantes,

Combatendo gigantes;

Contudo, o cavalheiro não esquece aqueles olhos brilhantes,

Da donzela que jurou lhe amar;

Bom cavalheiro,

Vá percorre refúgios distantes,

Não seja vacilante,

Cumpre a promessa de á seu amor retornar.

Autora: Bruna Araújo

Referência: Imagem Tristão e Isolda de Waterhouse.